Síndrome de Burnout

By: | Tags: | Comments: 0 | maio 2nd, 2020

Quando o meu pai trabalhava em empresa, sua jornada era bem definida entre 07h e 17h, suas atividades eram mais estruturadas e as exigências estavam relacionadas a habilidades técnicas.

Com o fim do expediente, fechava seu computador e se envolveria com trabalho só no dia seguinte. Nessa época, ele ainda conseguia chegar em casa, jantar tranquilamente, andar de bicicleta com a gente na rua e assistir Jornal Nacional. Não havia celular, não havia Whatsapp para solicitar resposta de email ao cliente, às 23h. Obviamente, as condições de trabalho não eram perfeitas, mas eram muito diferentes das de hoje.

Com o avanço tecnológico e inteligência artificial, a promessa esperada era de uma vida com mais tempo e mais saúde. Mas, pasmem, parece que estamos na contramão.

A Síndrome de Burnout tem sido um sinalizador específico a respeito da nossa relação com o trabalho, pois acomete pessoas por ele e por falta dele (trabalho). Acontece um esgotamento físico e mental. Burnout não tem a ver, necessariamente, com falta de realização, pelo contrário, gostar daquilo que se faz também pode contribuir para a linha tênue entre realização e adoecimento. Mas, nosso corpo não é uma máquina, ele dá sinais, ele precisa não produzir por alguns momentos, precisa se desligar, dormir, precisa fazer outras coisas que não estejam relacionadas a trabalho. A questão é como? Vamos explorar mais sobre isso por aqui.

Respeitar essas necessidades em tempos de aceleração e alta performance é um dos grandes desafios para a saúde física e mental da sociedade contemporânea

Leave a Reply